quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

O FIM DO GIZMODO BRASIL






É só isso
Não tem mais jeito

Acabou, boa sorte

Não tenho o que dizer

São só palavras

E o que eu sinto
Não mudará 

(Vanessa da Matta)


A letra da música acima não poderia ser mais perfeita para descrever o estado em que se encontra a relação entre o Gizmodo Brasil e seus leitores. Principalmente os comentaristas.

Durante anos a fio, nós tentamos manter uma relação com os caras de lá, mas nunca logramos. Os caras acham que nós temos de nos submeter à vontade deles e sua liberdade de postar o que bem entendam.

Ok, eu concordo, realmente teríamos de nos submeter, DESDE QUE eles fossem coerentes com seus próprios ditames editoriais.

Se você clicar agora no link "Sobre Nós", lá no fundo da página do G1z, encontrará o seguinte:

"No Gizmodo Brasil, prezamos o que a tecnologia pode fazer para nós, e como ela mudará nossos próximos capítulos: novas interações, inovações e os próximos passos para tornarmos nosso mundo mais prático e inteligente. Gostamos de gadgets, mas gostamos mais ainda de acompanhar a mudança da sociedade com tais gadgets.
Há cinco anos, o Gizmodo Brasil é referência em tecnologia no país, cobrindo eventos internacionais, levando informação em tempo real para seus mais de 2 milhões de leitores mensais, e trazendo novas perspectivas e olhares para os aparelhos tão brilhantes, atraentes e poderosos que rondam nossas vidas".
Diante disso, e do fato da chamada do G1z dizer "tecnologia para pessoas", o que qualquer ser humano (ou fake) esperaria ler por lá? Notícias sobre tecnologia. Sim, já houve, no passado.

Não obstante, o G1z há alguns anos anda num processo de degradação editorial (degradação é pouco: apodrecimento, mesmo), e durante esse processo eu escrevi três posts e mantive contato via email com o chefão da F451 (dessa vcs não sabiam!), reclamando dessa dissonância cognitiva, ainda no tempo da Nadjadjadjadja.

Os posts são os seguintes:




Como o Guilherme estava recém-contratado e ainda se importava (ou fingia que) com o que dizíamos, rolou uma retratação, e eu, querendo me enganar, saí com o post "Gizmodo Brasil: vai ter jeito!". 

Mas não teve jeito. E a coisa só piora (fomos avisados pelo próprio, aliás, de que se reclamar, vai ter mais!).

Como o amigo Monkey apontou muito bem (e baseado em dados concretos!) neste post, a coisa só piora e a degradação é tal que só ficou um pequeno grupo de comentaristas de sempre, e muitos já vazaram e não visitam mais o nosso outrora querido Gizmodo.

Então é isso, galera: eu não vou esperar o barco acabar de afundar. MalcriadoRJ está oficialmente fora do Gizmodo Brasil. Não comento mais lá, dessa vez por vontade própria. Aquela merda não me representa.

Guilherme: Nadja, tô mandando bem?
Nadja: Muito, Gui! Não ligue para os fakes!
Cansei. Aquela merda não serve nem pra zoar mais. Deixa fechar.

MRJ